ESPALHE GENTILEZA

Compartilhe essa postagem

Há poucos dias encontrei queridos colegas de trabalho de anos atrás e nos pusemos a falar do que nos recordávamos dos tempos em que trabalhávamos juntos.

Todos nos lembramos de situações que não pareciam nada engraçadas quando as vivemos na realidade, mas que agora, tantos anos depois, nos arrancaram boas risadas.

Todos os colegas de que nos lembramos nesse encontro, sem exceção, foram pessoas que provocaram em cada um de nós experiências positivas (ainda que pudesse não parecer a época).

Todos eles eram mestres em pequenas gentilezas do dia a dia, e mesmo agora, tanto tempo depois, ainda nos lembramos deles com um misto de gratidão e saudade. Lembrei-me de uma copeira de uma empresa em que trabalhei que acolhia funcionários entristecidos com um café fumegante e um bolo de fubá quentinho a qualquer hora do dia (ninguém nunca soube de onde saia o bolo, mas ele aparecia em minutos a qualquer sinal de necessidade de aconchego urgente).

Puxa, quantas vezes nos últimos anos desejei uma fatia daquele bolo. Lembrei-me também de um porteiro de uma empresa em que trabalhei, que acolhia os colaboradores demitidos em seu último dia, ajudando-os a levar suas caixas com pertences pessoais para seus veículos e entregar seus crachás, com direito a um abraço demorado. Ninguém nunca soube como ele sabia, mas ele quase sempre estava lá nesta função informal que ele se auto atribuiu, mas que cumpriu com maestria por anos até se aposentar.

Ele nunca, jamais contou as muitas histórias de profissionais outrora importantes que se renderam ao seu abraço, em lágrimas sentidas.

Pessoas assim ainda existem e talvez sejam especiais demais para serem comuns, mas todos podemos fazer um esforço para sermos gentis com as outras pessoas.  

Viver não é muito fácil, mas com um café fumegando de quente e uma fatia de bolo de fubá, fica muito melhor.

 

Alessandra Milani – Secretária executiva / Assessoria C Level e Conselho

LinkedIn: http://linkedin.com/in/alessandramilani2024

Postagens Relacionadas

Carreira

PARA ONDE AINDA FALTA OLHAR?

O evento terminava e a sensação de insegurança frente ao mercado de trabalho, às tendências comportamentais e de negócios era grande. Falava-se do mundo singular,

Carreira

DESBRAVANDO PALAVRAS

Por anos, carreguei comigo o desejo latente de compartilhar minha jornada, minhas reflexões e experiências, mas sempre me deparei com a pergunta: “Por onde começar?”.

Precisa de Ajuda?